Próximo as férias escolares, o Cartoon Network traz para seus assinantes a estreia da 22ª temporada de Pokémon, intitulada Pokémon, A Série: Sol e Lua – Ultralendas, que segue Ash, Pikachu e seus amigos em Alola.

Pokémon, A Série: Sol e Lua – Ultralendas estreia em 3 de junho, sempre de segunda a sexta-feira, às 16h.

Foi lançado no dia 13 pela editora Shueisha o primeiro capítulo do mais novo mangá de Masashi Kishimoto (Naruto), batizado de Samurai 8: Hachimaruden, e o autor deu uma nova entrevista durante uma coletiva de imprensa para falar a respeito da sua nova obra. Ele começa lembrando sobre o lançamento de Naruto, que aconteceu em 1999 e terminou em 2014, explicando que após finalizar em 2015 o mangá Naruto: The Seventh Hokage and the Scarlet Spring, sentiu uma sensação de liberdade e de dever cumprido.

O autor disse em tom de brincadeira ter ficado extremamente cansado que acabou ficando sem forças para desenhar mangá, mas apesar de ter se dedicado a um trabalho que lhe deu tempo para transformar uma criança num adulto, levou dois anos para voltar atrás e desejar desenhar novamente. Kishimoto menciona que entregou tudo que podia para Naruto, mas sabia que ainda não era algo beirando a perfeição, o que o fez refletir. Assim que finalizou o ninja loiro, percebeu que a chama de voltar a desenhar voltou a ficar mais forte, mas planejou usar esse ânimo para um novo projeto.

Em relação a história de Samurai 8: Hachimaruden, que mistura um conto samurai com ficção científica, o mangaká disse que ama estes dois elementos, e sentiu que queria desenhar sobre isso, mas explicou que por conta da idade, fica complicado se jogar de cabeça numa obra assim, então resolveu misturas as duas fórmulas e criar a nova série. Ele comentou que seu primeiro trabalho enviado para a editora Shueisha foi um mangá sobre samurais, mas na época não ganhou nada, e brincou que Samurai 8 é uma espécie de “vingança” por conta deste fato.

Masashi destacou que o novo mangá não deve ter uma linguagem fácil de entender como era com Naruto, já que possui diversas palavras e frases bem diferentes, mas comenta que fez de tudo para que a série possa ser compreendida pelo público. Ele ainda chamou a atenção para novos autores que estão começando ao dizer para evitarem ficção científica, mas acreditou que seria muito mais fácil em seu caso por ter tido um trabalho como Naruto.

Sobre o co-autor de Samurai 8, Akira Okubo, seu ex-assistente, ter ficado responsável pela arte, Kishimoto disse que por ser um mangá semanal, ele não teria como desenhar tudo, por isso precisou de ajuda. Também relembrou que na época que Naruto estava em publicação, Okubo lhe ajudou a fazer os esboços de cada um dos capítulos. O autor ainda teceu elogios ao artista ao revelar que seus desenhos são muito mais bonitos, e que Okubo consegue fazer algo muito melhor do que ele neste aspecto.

Questionado sobre Samurai 8: Hachimaruden ser melhor que Naruto, Kishimoto declarou que pensou muito no assunto quando estava envolvido no mundo do ninja, mas que agora tem um melhor entendimento de tudo e que iria passar isso para a nova obra, que segundo ele, um dos temas será algo como “tudo bem em não ser perfeito”, e comenta que parece algo contraditório ao dizer que quer fazer o mangá perfeito, apesar de ter o tema e ele não ser totalmente perfeito. Para ele, foram as imperfeições de Naruto que o deram mais motivação para começar um novo trabalho, e disse que quando este for finalizado, o que não ficou bom o ajudará a fazer melhor no próximo.

Kishimoto volta a destacar que Samurai 8: Hachimaruden terá, por enquanto, somente 10 volumes, e mais que isso, como aconteceu com Naruto, fará com que ele fique ainda maior.

JBC anunciou novidades essa semana sobre títulos populares, que incluem uma versão digital de Hunter x Hunter, previsão de lançamento de Fruits Basket e um reajuste de preço de Akira. Além disso, foi revelado que o mangá Cardcaptor Sakura: Clear Card será lançado mo Brasil. Confira:

Um registro no ISBN revelou que a editora irá publicar a continuação de uma das obras de maior sucesso do grupo CLAMP no Brasil. Até o momento, estão confirmados os registros de dois volumes do mangá de Clear Card, o que indica que como de costume, serão lançados os dois primeiros volumes simultaneamente.

A JBC também anunciou hoje (10) que o mangá Hunter x Hunter também será passará a ser oferecido em formato digital. A criação de Yoshihiro Togashi é editada em cópias físicas no Brasil desde 2008. Também foi revelada a previsão de lançamento do mangá Fruits Basket no Brasil. A publicação acontecerá em junho ou julho deste ano. A edição brasileira do mangá de  Natsuki Takaya será similar a versão deluxe japonesa publicada entre setembro de 2015 e julho de 2016, numa reedição que reduz os volumes da obra de 23 para 12.

A editora também divulgou novidades sobre Akira. A edição brasileira irá sofrer um reajuste de preço, passando a custar mais caro, o valor de R$ 69,90 vai para R$ 76,90. A JBC informou que tentou segurar o reajuste diante da produção cara e detalhada que o mangá exige e da variação do preço do papel diante da crise econômica no Brasil. Além disso, também foi anunciada uma boa notícia para os fãs da obra de Katsuhiro Otomo, as edições brasileiras dos três últimos volumes do mangá serão aprovadas juntas e o lançamento tem previsão de ocorrer ainda esse ano.

Durante o programa SenpaiTV, transmitido pela Rede Brasil, a Panini anunciou que irá lançar no Brasil o mangá Origin, dee Boichi, mesmo ilustrador do mangá Dr. Stone, também publicado pela editora no país. O lançamento da obra está previsto para o mês de junho custando R$ 22,90. Origin começou a ser editado no Japão em 2016 e conta até o momento com 9 volumes.

A história se passa no ano de 2048, onde o Japão forma parte da Eurásia e possui uma ligação por meio de uma ferrovia transcontinental. A capital japonesa é assolada por ataques terrositas e criminalidade, e para piorar, seres misteriosos estão atacando os habitantes durante a noite. Um andróide surge para caçar estes seres e proteger os seres humanos.

Além destas novidade, a Panini também anunciou que o mangá One Piece já está disponível em formato digital. Os três primeiros volumes do mangá de Eiichiro Oda já estão sendo comercializados pela Amazon, custando R$ 10,90. Por enquanto, a editora ainda não se pronunciou a respeito das versões digitais de Assassination Classroom e Naruto.