Próximo as férias escolares, o Cartoon Network traz para seus assinantes a estreia da 22ª temporada de Pokémon, intitulada Pokémon, A Série: Sol e Lua – Ultralendas, que segue Ash, Pikachu e seus amigos em Alola.

Pokémon, A Série: Sol e Lua – Ultralendas estreia em 3 de junho, sempre de segunda a sexta-feira, às 16h.

Considerada uma das mais bem sucedidas adaptações para live-action baseada num mangá, Samurai X (Rurouni Kenshin), vai ganhar dois novos filmes para o cinema, conforme anúncio feito pela filial japonesa da Warner Bros, ambos vão encerrar a saga de Kenshin Himura nas telonas, informa o Cinema Today.

Os longas serão divididos em duas partes, Juji Kizu no Naze (Mystery of the Cross-Shaped Scar), e Saikyo no Teki・Enishi (Most Terrifying Enemy – Enishi). A história vai apresentar a origem do retalhador e sua luta contra um novo inimigo: Enishi Yukishiro. O ator Takeru Satoh voltará a interpretar Kenshin Himura e Keishi Otomo assumirá novamente a direção.

A obra de Nobuhiro Watsuki já havia sido adaptada anteriormente como uma trilogia para os cinemas que se tornou um grande sucesso de público e crítica. No Brasil, foram lançados em DVD, transmitidos nos canais HBO e AMC, além de disponibilizados no catálogo da Netflix.

A estreia dos novos filmes de Samurai X acontece no primeiro semestre de 2020.

Após lançar os filmes de Ghost In The Shell e Dead Leaves, a Amazon Prime Vídeo segue investindo pesado na aquisição de novos animações japonesas para expandir seu catálogo de títulos do gênero, ainda modesto, mas que parece estar ganhando cada vez mais atenção da plataforma de streaming.

A novidade agora é a chegada dos animes High School of the Dead (além do OVA) e Devil May Cry, distribuídos no Brasil pela Sato Company, e que também estão disponíveis no catálogo da Netflix.

DMC é uma adaptação baseada na franquia de jogos da Capcom e conta com 13 episódios produzidos pelo estúdio Madhouse. Já High School of the Dead é uma adaptação do mangá de Daisuke Sato e Shoji Sato que conta com 12 episódios também produzidos pela Madhouse.

High School of the Dead e Devil May Cry contam apenas opção de áudio original e legendas em português.

A Netflix fechou parcerias com cinco dos principais estúdios de animação do Japão para a produção de novas séries originais. A negociação aconteceu em duas etapas. Primeiro, acordos foram feitos com os estúdios Production I.G e Bones. Agora, somaram-se ao esforço as produtoras Anima, Sublimation e David Production.

As primeiras atrações dessas parcerias já estão definidas, incluindo a série de animação “Altered Carbon: Nova Capa”, da Anima, baseada na série original de ficção científica live-action da Netflix. Com a Sublimation, a Netflix desenvolve “Dragon’s Dogma”, baseada no videogame de mesmo nome aclamado pela crítica. E a David Production prepara “Spriggan”, adaptação do mangá de mesmo nome.

Esses títulos se juntam às séries que serão produzidas pela Production I.G e pela Bones. São elas: “Ghost in the Shell: SAC _2045”, novo capítulo da saga anime de “Ghost in the Shell”, da Production IG, com estreia na Netflix em 2020, e “Super Crooks”, da Bones, baseada nos quadrinhos criados pelo roteirista Mark Millar e pelo artista Leinil Francis Yu.

Além destas, também está em desenvolvimento “Vampiro no Jardim”, do Wit Studio, que pertence à I.G.
Os acordos de produção refletem o sucesso dos animes no catálogo da Netflix. A plataforma planeja atrair cada vez mais parceiros para desenvolver conteúdo exclusivo, visando se estabelecer como referência no setor.

Mitsuhisa Ishikawa, presidente e CEO da Production I.G, observou a grande vantagem que a Netflix oferece para as empresas de anime. “O acordo de produção vai permitir que nossos criadores possam ir além do ecossistema de negócios de anime japonês. Esta é uma grande oportunidade, que nos desafia a entregar o conteúdo exclusivo de nossos talentos para fãs de todo o mundo”, disse, no comunicado que anunciou as parcerias.

A adaptação em live-action de Mobile Suit Gundam, que está sendo desenvolvido pela Legendary Pictures, terá o roteiro escrito por Brian K. Vaughan, informa o Deadline.

Connhecido por ser autor de quadrinhos de sucesso como Y: The Last Man, Ex Machina e Fugitivos; Vaughan também será o produtor executivo do longa.

A Legendary em parceria com Sunrise, que é responsável pela franquia de sucesso criada por Yoshiyuki Tomino, que completa 40 anos no próximo mês, desenvolve o longa para os cinemas. A produção ainda não possuí previsão de estreia e deverá ter co-produção da Warner Bros., estúdio que já deu um deslumbre para o público do personagem em Jogador N°1.

Mais informações em breve.

Mirai no Mirai, novo longa-metragem do diretor Mamoru Hosoda (Crianças Lobo) ganhou o prêmio de Melhor Animação Japonesa do Ano do Japan Academy Prize Association (Prêmio da Academia Japonesa de Cinema), considerado como o “Oscar” do Japão.

O filme produzido pelo Studio Chizu superou tranquilamente Dragon Ball Super: Broly, Detective Conan: Zero the Enforcer, Penguin Highway e Okko’s Inn, que também disputavam a mesma categoria. Mirai no Mirai também foi vencedor do Annie Awards, além de ter tido indicações para o Oscar e ao Globo de Ouro.

O site oficial da adaptação para os cinemas do mangá Kakegurui, de Homura Kawamoto e Toru Naomura, divulgou um novo trailer do longa-metragem e sua data de estreia, que acontecerá no dia 3 de maio no Japão. O vídeo apresenta o tema musical da produção “I fake Me” interpretado por Soraru. Assista:

Além disso, também foi revelado um novo pôster do filme destacando todos os personagens da produção:

Antes da estreia do lançamento do longa, a TV japonesa vai estrear a segunda temporada do dorama de Kakegurui no dia 31 de março. Já a nova temporada do anime começou a ser transmitida por lá no dia 8 de janeiro e chegará ao resto do mundo ainda este ano pela Netflix, que também deverá disponibilizar a continuação do dorama, e mais adiante o filme.

Mahou Tsukai no Yome (The Ancient Magus´Bride): Conta a história de Chise que foi abandonada no passado e acaba se tornando aprendiz do feiticeiro inumano Elias, enquanto se prepara para se tornar a nova esposa dele.

Isekai wa Smartphone to Tomo ni (In Another World With My Smartphone): Acompanha a história de um garoto que morreu num acidente e Deus decide ressuscita-lo numa terra mágica, porém, ele pode usar seu smartphone para acompanhar tudo o que acontece em seu mundo. Além de poder telefonar diretamente para o manda-chuva.

Kono Subarashii Sekai ni Shukufuku wo! (Konosuba! God’s Blessing on This Wonderful World): Após sofrer um acidente de trânsito, Kazuma acorda na frente de uma bela garota que se diz ser a deusa da água e questiona o que ele quer levar para o outro mundo. Ele acaba escolhendo a própria deusa e partem juntos para um mundo medieval, onde irão tentar sobreviver sem nenhum tostão.

Orange: No início do seu segundo ano no ensino médio, Naho recebe uma carta dela mesma vinda de 10 anos no futuro. Ao primeiro instante ela encara como uma brincadeira, mas ao ver os fatos descritos na carta se concretizarem ela passa a acreditar em tudo. E na mesma carta consta todos os fatos de sua vida: seu grande amor e o dia de sua morte. O que ela fará ao saber tudo isso?

Joker Game: No final de 1937, com o auge da 2° Guerra Mundial, o Tenente-coronel Yuuki estabelece uma organização de espionagem com os cidadãos mais renomados do império. Com isso eles passam a ser treinados para enfrentar os mais adversos perigos dentro da guerra.

Demi-chan wa Kataritai (Interviews with Monters Girls): Nessa comédia encontramos um professor chamado Tetsuo Takahashi que dedica sua vida ao estudo das demi-humanas (vampiras, súcubos, garotas de neve, entre outras).

Net-juu no Susume (Recovery of MMO Junkie): Em uma de suas viagens pela internet, Morioka Moriko acaba entrando em um jogo online onde assume a persona de Hayashi, que é totalmente ao contrário de tudo o que ela é na vida real. Porém ela conhece um misterioso assalariado com os olhos azuis no mundo real e começa a ficar em dúvida sobre qual mundo ela deve pertencer.

Mais informações serão divulgadas em breve.

Foi divulgado na conta oficial do Twitter das adaptações live-action de Kakegurui, um novo pôster do filme que irá adaptar para as telonas o bem sucedido mangá de Homura Kawamoto e Toru Naomura. O longa chegará aos cinemas japoneses em maio de 2019 trazendo o mesmo elenco do dorama. Confira:

Paralelo a isso, a nova temporada do dorama está prevista para estrear na TV japonesa durante a primavera no Japão, enquanto que a adaptação animada retorna com novos episódios em janeiro. No Brasil, a série live-action e o anime de Kakegurui estão disponíveis na Netflix.

Em entrevista à Forbes, o produtor da adaptação animada de Castlevania, Adi Shankar, comentou sobre a recém-lançada segunda temporada e o sucesso da série. Além disso, Shankar, que também está trabalhando nas adaptações animadas de Assassin’s Creed e Devil May Cry., ao falar sobre o atual cenário de animação, revelou que gostaria de adaptar Bersek.

O produtor revelou que por ter crescido longe das culturas norte-americana e japonesa, não tinha noção da popularidade da série de jogos. Ele esperava que a adaptação fosse ser algo de nicho, mas se tornou um grande sucesso. Shankar também comentou que os jogos não eram tão sangrentos, mas que eram violentos de sua maneira. Sobre esses pequenos detalhes diferentes e alguns personagens que ainda não apareceram, o produtor indicou que os fãs imaginassem a série e os jogos como universos paralelos, onde ele pode incluir personagens e histórias desse multiverso na adaptação, sem ser exatamente da mesma maneira como são inseridos nos jogos.

Ele se declarou completamente fascinado pela série de jogos, que contam uma história europeia sob um olhar japonês e que consegue ser popular no mundo inteiro, pois segundo ele, videogames possuem de fato uma linguagem global. Sobre um possível filme estar sendo desenvolvido, o produtor disse que a indústria do cinema atualmente está muito fechada a histórias de gêneros específicos e pré-determinados, não tendo determinação a assumir riscos, e uma história como Castlevania não tem espaço nesse cenário.

O produtor revelou que nunca considerou anime um gênero e sim uma estética, e era apaixonado pelo estilo ao qual foi muito exposto por ter crescido em Hong Kong. Isso o influenciou a trazer o formato para Castlevania, e ele encontrou apoio do diretor, Sam Deats, também fã de animações japonesas. Essa paixão também fica evidente em sua resposta sobre qual obra gostaria de adaptar, que seria Berserk, que ele deixaria o mais fiel possível a arte de Kentaro Miura no mangá, pois a considera uma obra-prima.

As duas temporadas de Castlevania estão disponíveis na Netflix. Uma terceira leva de episódios também encontra-se em produção.