Foi lançado no dia 13 pela editora Shueisha o primeiro capítulo do mais novo mangá de Masashi Kishimoto (Naruto), batizado de Samurai 8: Hachimaruden, e o autor deu uma nova entrevista durante uma coletiva de imprensa para falar a respeito da sua nova obra. Ele começa lembrando sobre o lançamento de Naruto, que aconteceu em 1999 e terminou em 2014, explicando que após finalizar em 2015 o mangá Naruto: The Seventh Hokage and the Scarlet Spring, sentiu uma sensação de liberdade e de dever cumprido.

O autor disse em tom de brincadeira ter ficado extremamente cansado que acabou ficando sem forças para desenhar mangá, mas apesar de ter se dedicado a um trabalho que lhe deu tempo para transformar uma criança num adulto, levou dois anos para voltar atrás e desejar desenhar novamente. Kishimoto menciona que entregou tudo que podia para Naruto, mas sabia que ainda não era algo beirando a perfeição, o que o fez refletir. Assim que finalizou o ninja loiro, percebeu que a chama de voltar a desenhar voltou a ficar mais forte, mas planejou usar esse ânimo para um novo projeto.

Em relação a história de Samurai 8: Hachimaruden, que mistura um conto samurai com ficção científica, o mangaká disse que ama estes dois elementos, e sentiu que queria desenhar sobre isso, mas explicou que por conta da idade, fica complicado se jogar de cabeça numa obra assim, então resolveu misturas as duas fórmulas e criar a nova série. Ele comentou que seu primeiro trabalho enviado para a editora Shueisha foi um mangá sobre samurais, mas na época não ganhou nada, e brincou que Samurai 8 é uma espécie de “vingança” por conta deste fato.

Masashi destacou que o novo mangá não deve ter uma linguagem fácil de entender como era com Naruto, já que possui diversas palavras e frases bem diferentes, mas comenta que fez de tudo para que a série possa ser compreendida pelo público. Ele ainda chamou a atenção para novos autores que estão começando ao dizer para evitarem ficção científica, mas acreditou que seria muito mais fácil em seu caso por ter tido um trabalho como Naruto.

Sobre o co-autor de Samurai 8, Akira Okubo, seu ex-assistente, ter ficado responsável pela arte, Kishimoto disse que por ser um mangá semanal, ele não teria como desenhar tudo, por isso precisou de ajuda. Também relembrou que na época que Naruto estava em publicação, Okubo lhe ajudou a fazer os esboços de cada um dos capítulos. O autor ainda teceu elogios ao artista ao revelar que seus desenhos são muito mais bonitos, e que Okubo consegue fazer algo muito melhor do que ele neste aspecto.

Questionado sobre Samurai 8: Hachimaruden ser melhor que Naruto, Kishimoto declarou que pensou muito no assunto quando estava envolvido no mundo do ninja, mas que agora tem um melhor entendimento de tudo e que iria passar isso para a nova obra, que segundo ele, um dos temas será algo como “tudo bem em não ser perfeito”, e comenta que parece algo contraditório ao dizer que quer fazer o mangá perfeito, apesar de ter o tema e ele não ser totalmente perfeito. Para ele, foram as imperfeições de Naruto que o deram mais motivação para começar um novo trabalho, e disse que quando este for finalizado, o que não ficou bom o ajudará a fazer melhor no próximo.

Kishimoto volta a destacar que Samurai 8: Hachimaruden terá, por enquanto, somente 10 volumes, e mais que isso, como aconteceu com Naruto, fará com que ele fique ainda maior.

JBC anunciou novidades essa semana sobre títulos populares, que incluem uma versão digital de Hunter x Hunter, previsão de lançamento de Fruits Basket e um reajuste de preço de Akira. Além disso, foi revelado que o mangá Cardcaptor Sakura: Clear Card será lançado mo Brasil. Confira:

Um registro no ISBN revelou que a editora irá publicar a continuação de uma das obras de maior sucesso do grupo CLAMP no Brasil. Até o momento, estão confirmados os registros de dois volumes do mangá de Clear Card, o que indica que como de costume, serão lançados os dois primeiros volumes simultaneamente.

A JBC também anunciou hoje (10) que o mangá Hunter x Hunter também será passará a ser oferecido em formato digital. A criação de Yoshihiro Togashi é editada em cópias físicas no Brasil desde 2008. Também foi revelada a previsão de lançamento do mangá Fruits Basket no Brasil. A publicação acontecerá em junho ou julho deste ano. A edição brasileira do mangá de  Natsuki Takaya será similar a versão deluxe japonesa publicada entre setembro de 2015 e julho de 2016, numa reedição que reduz os volumes da obra de 23 para 12.

A editora também divulgou novidades sobre Akira. A edição brasileira irá sofrer um reajuste de preço, passando a custar mais caro, o valor de R$ 69,90 vai para R$ 76,90. A JBC informou que tentou segurar o reajuste diante da produção cara e detalhada que o mangá exige e da variação do preço do papel diante da crise econômica no Brasil. Além disso, também foi anunciada uma boa notícia para os fãs da obra de Katsuhiro Otomo, as edições brasileiras dos três últimos volumes do mangá serão aprovadas juntas e o lançamento tem previsão de ocorrer ainda esse ano.

Durante o programa SenpaiTV, transmitido pela Rede Brasil, a Panini anunciou que irá lançar no Brasil o mangá Origin, dee Boichi, mesmo ilustrador do mangá Dr. Stone, também publicado pela editora no país. O lançamento da obra está previsto para o mês de junho custando R$ 22,90. Origin começou a ser editado no Japão em 2016 e conta até o momento com 9 volumes.

A história se passa no ano de 2048, onde o Japão forma parte da Eurásia e possui uma ligação por meio de uma ferrovia transcontinental. A capital japonesa é assolada por ataques terrositas e criminalidade, e para piorar, seres misteriosos estão atacando os habitantes durante a noite. Um andróide surge para caçar estes seres e proteger os seres humanos.

Além destas novidade, a Panini também anunciou que o mangá One Piece já está disponível em formato digital. Os três primeiros volumes do mangá de Eiichiro Oda já estão sendo comercializados pela Amazon, custando R$ 10,90. Por enquanto, a editora ainda não se pronunciou a respeito das versões digitais de Assassination Classroom e Naruto.

Com a publicação de seu 92º volume, realizado nesta segunda-feira (4), foi revelado que o mangá de One Piece já conta com mais de 450 milhões de cópias impressas em todo o mundo, todo de 380 milhões no Japão e 70 milhões no resto do mundo.

Em maio passado, o mangá já havia batido a marca dos 440 milhões e em 2015 entrou para o Guiness, o Livo dos Recordes como maior número de cópias publicadas em uma HQ de um único autor.

One Piece é publicado no Brasil pela Panini.

Apesar de já ter tido seu fim decretado por Hideaki Sorachi e a editora Shueisha, o fim de Gintama parece estar mais longe do que todos pensavam. A revista Jump Giga anunciou que a obra vai continuar sendo publicada em formato digital por meio de um aplicativo gratuito dedicado a série.

Gintama vinha sendo editado na Giga desde sua saída da revista Shonen Jump. Detalhes a respeito do aplicativo e quando ele será disponibilizado ainda não foram divulgados. Vale lembrar que o último volume de Gintama (#77) será lançado no Japão durante a primavera.

A revista V Jump anunciou hoje (21) que o novo arco do mangá de Dragon Ball Super, intitulado “Galactic Patrol Prisioner Arc“, vai começar a ser publicado a partir do dia 21 de dezembro.

Como já dito anteriormente, o capítulo 42 da obra de Toyotaro alcançou os eventos do anime antes de introduzir os novos personagens para o próximo arco.

Além disso, o novo capítulo apresentou uma breve recapitulação do filme Dragon Ball Super: Broly, o que indica que o mangá não irá adaptar os eventos do novo longa animado de Dragon Ball, como fez com filmes anteriores.

No Brasil, o mangá de Dragon Ball Super é publicado pela Panini.

Após revelar que irá lançar o mangá Erased e a edição física de Edens Zero no Brasil em dezembro, a editora JBC divulgou as capas e os primeiros detalhes das versões nacionais.

No Brasil, a primeira obra será lançada sob o título de “Erased – A cidade onde só eu não durmo“, a escolha se deu devido a junção do título internacional em inglês (Erased) com o original japonês (Boku dake ga Inai Machi). O primeiro volume terá 192 páginas em formato 13,2 cm x 20 cm. O valor ainda não foi anunciado pela JBC.

Criado por Kei Sanbe, Erased foi lançado no Japão em 2012 e contou com 9 volumes publicados. O mangá já inspirou uma adaptação live-action, que está disponível na Netflix, e uma adaptação em anime, disponível no Crunchyroll.

Já a edição física de Eden’s Zero, mais novo trabalho de Hiro Mashima, terá papel Lux Cream, formato 13,2 x 20 cm e irá custar R$ 23,90. Os capítulos em formato digital são lançados pela JBC toda quarta-feira.

O mangá Hunter x Hunter entrará em hiato novamente. A nova pausa acontece em dezembro, após a edição 52 da revista Shonen Jump. Como já é sabido, a obra entra constantemente em hiato devido à problemas de saúde do autor, Yoshihiro Togashi.

A última pausa havia sido em março desse ano e o retorno aconteceu em setembro.Publicado desde 1998 no Japão pela Shueisha, Hunter x Hunter possui 36 volumes publicados. No Brasil, o mangá é publicado pela JBC.

Foi revelado qual será o novo arco que o mangá de Dragon Ball Super vai apresentar após o fim da saga do “Torneio do Poder”. Para surpresa de todos, não será uma adaptação de Dragon Ball Super: Broly, e sim o arco “Galactic Patrol Prisoner”, que acontece logo após os eventos do filme.

Segundo a sinopse divulgada, Goku e Vegeta estão treiando juntos após o término do Torneio do Poder, quando de repente, Bulma aparece e mostra a eles uma mensagem deixada por Mr. Satan, onde relata apavorado que um estranho grupo surgiu em sua casa para sequestrar Majin Boo. A dupla de guerreiros vai em direção a casa de Satan e encontra estas pessoas levando Boo para uma nave conhecida. Ao tentar impedir, são atacados pelo grupo com uma poderosa arma capaz de deixar os Sayajins atordoados. Após recobrar a consciencia, Goku acorda no quartel general da Patrulha Galáctica, e são eles os responsáveis pelo sequestro de Boo. Eles explicam que precisaram fazer isso para retirar o Grande Kaioshin que está dentro de Boo, pois necessitam da ajuda deste ser para encontrar um terrivel crimonoso que fugiu da Patrulha Galáctica.

Ainda não se sabe como a divindade será retirada de Majin Boo, mas caso isso aconteça, ele poderá novamente se tornar violento, e automaticamente, perdendo seu jeito bondoso.

O arco “Galactic Patrol Prisoner” do mangá de Dragon Ball Super está previsto para ser lançado em dezembro no Japão. Aqui no Brasil, a obra é publicada pela editora Panini.

Um dos heróis mais famosos da Marvel, o Homem-Aranha, ganhará em breve uma aventura em estilo mangá. A informação foi revelada pelo autor Yusuke Osawa (Green Worldz), que revelou estar trabalhando em uma obra para o personagem.

“Finalmente foi anunciado. Eu vou fazer uma série especial do Homem-Aranha para a Marvel Manga Award.” disse.

Ainda sem maiores informações, especula-se que o título seja algo como Homem-Aranha: Eu não um Herói. O mangá especial será impresso pela Kodansha e será a segunda série da Marvel Manga Awards no Japão.